fbpx 260711774397346
Engenharia

Aparelho de Mudança de Via

By 28 de dezembro de 2018 No Comments

1. Introdução

O Aparelho de Mudança de Via (AMV) tem a função de desviar os veículos com segurança e velocidade comercialmente compatível. Esse aparelho permite flexibilidade ao traçado, no entanto, por ser um elemento móvel da via, é peça-chave na segurança da operação; além de possuir alto custo de aquisição e de manutenção.

2. Funcionamento

O esquema a seguir ilustra o funcionamento de um AMV.

O AMV é caracterizado pelo número do coração:

Quanto maior for o número N, menor o ângulo β e maior o raio da curva e a velocidade.

No Brasil utiliza-se dois tipos de AMV:

  • AMV-A (AREA) preferencialmente em pátios e transporte de cargas; e
  • AMV-M para transporte de passageiros.

 

No AMV-A o contato da agulha com o trilho é secante, o que lhe torna mais simples, barato e robusto, porém não permite a sobrelevação. O AMV-A é caracterizado pelo número inteiro do “coração”, sendo que quanto maior for o número, menor o ângulo entre a linha principal e a linha do desvio e maior o raio da curvatura e a velocidade.

No AMV-M o contato da agulha com o trilho é feito em tangente, garantindo menos impacto e desgaste, maior conforto, segurança e velocidade.

Importante acrescentar que o AMV deve ser preferencialmente montado em estaleiro e depois levado para a via, tão montado quanto possível.

 

3. Componentes Principais

a) Chave

Também chamada de grade de agulhas, é constituída pelas agulhas, trilhos de encosto e acessórios, montados adequadamente de forma a permitir o encaminhamento dos veículos ferroviários de uma para outra linha ou para a mesma via, conforme se deseje.

b) Agulhas

São peças geralmente constituídas de trilhos convenientemente trabalhados, paralelas entre si, destinadas a guiar as rodas dos veículos ferroviários ao transporem a chave.

c) Contra-agulha ou “encosto da agulha”

Trilho de encosto da agulha, geralmente constituída por peças usinadas a partir de trilhos, adaptadas para servir de encosto da agulha.

d) Aparelho de manobra

Aparelhagem que permite movimentar as agulhas, dando passagem para outra via.

e) Trilhos de enlace ou de ligação

São trilhos que fazem a ligação da chave, ao “coração” do AMV.

f) Coice

Conjunto de peças que faz a articulação da agulha com o trilho de ligação, localizado na parte extrema da agulha oposta à sua ponta.

g) “Coração” ou “jacaré”

Parte principal do AMV e que praticamente o caracteriza, permite às rodas dos veículos, movendo-se em uma via, passar para os trilhos da outra. Pode ser constituído de uma só peça de aço fundido ou de trilhos comuns cortados, usinados e aparafusados e cravados a uma chapa de aço que se assenta no lastro.

h) Calços

São peças de ferro fundido, aparafusadas entre os trilhos e contratrilhos, ou entre a agulha e contra-agulha e têm por finalidade de manter invariável o afastamento entre eles.

i) Coxins

Chapas colocadas sob as agulhas do AMV, e mantidas sempre lubrificadas, pois sobre elas deslizam as agulhas, quando movimentadas.

j) Contratrilhos

Pedaço de trilho curvo nas extremidades, de comprimento adequado, colocado paralelamente ao trilho de linha, junto aos trilhos externos e de um lado e outro do “coração” do AMV, tendo por finalidade “puxar” o rodeiro para fora, evitando que os frisos das rodas se choquem contra a ponta do “jacaré” ou da agulha.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of