fbpx 260711774397346
Engenharia

Edificações – Pintura

By 26 de novembro de 2018 No Comments

Esta aula tem como objetivo descrever os conceitos mais importantes concernentes a Pinturas para concursos de engenharia civil. O material é baseado na NBR15156/2015 e 15575-1/2013 e nos resumos preparados para consolidação do conhecimento da matéria ao longo dos anos.

Considerações Iniciais

A pintura, além de embelezar o ambiente e a edificação, tem a importante função de proteger as diversas partes da construção, combatendo a deterioração provocada pelas intempéries, umidade e sujeira, bem como conservar diversos materiais como a madeira, o ferro etc. As tintas e os vernizes têm por finalidade proteger e embelezar as superfícies. São utilizadas também para sinalizar, transmitir ideias, refletir e absorver calor.

Tinta é um material que se apresenta na forma líquida e que, quando aplicado, com ou sem diluição sobre uma superfície, deve resultar em filme sólido, contínuo, uniforme e aderente após a secagem/cura.

Quando seca e curada, a tinta forma um filme sobre a superfície, minimizando o seu contato com o meio ambiente devido à formação de uma barreira ao ingresso de agentes agressivos ao seu interior.

A principal causa da curta durabilidade da película de tinta é a má qualidade de fundo, da primeira demão, ou a negligência em providenciar boa base para a tinta.

As duas principais tintas usadas na construção civil são as tintas látex, recomendadas para aplicação sobre superfícies de alvenaria, gesso, concreto, substratos à base de cimento, e os esmaltes sintéticos, recomendados para a aplicação em substratos metálicos e madeira.

Resumindo de uma forma mais geral: temos as tintas de fundo (seladores, primers anticorrosivos, fundos preparadores de superfície), massas de nivelamento (massa corrida, massa à óleo, massa para madeira) e tintas e vernizes para acabamento.

De modo geral, as tintas são constituídas pelos seguintes componentes: resina (ou polímero ou ainda veículo), pigmento, solvente e aditivos mas nem sempre todos estes componentes estão simultaneamente presentes: Os vernizes, por serem películas transparentes, não contém pigmentos em sua composição, ou contém baixos teores desses constituintes.

Os aglomerantes ou resinas são os responsáveis pela formação do filme da tinta, sua secagem e propriedades gerais. São ainda os responsáveis em converter o filme da tinta em uma membrana densa, uniforme, homogênea e perfeitamente aderente ao substrato.

Na construção civil, as resinas mais usadas são os homopolímeros (polietileno) e copolímeros de acetato de vinila e os copolímeros acrílicos, ambos na forma de emulsões, os quais estão presentes nas tintas, colas, selantes e nos aditivos para argamassa e concreto.

Os pigmentos são sólidos finamente divididos, insolúveis na veículo da tinta e que conferem principalmente cor e poder de cobertura, contribuindo também para a proteção e resistência ao intemperismo, brilho e outras características exigidas.

Os solventes são produtos incorporados à formulação para facilitar o processo de produção, bem como aplicação do produto final. Interfere na secagem, na aparência e em suas propriedades físicas e de aplicação. Em virtude da variedade de resinas empregadas, requer-se também uma grande gama de solventes específicos para cada tipo de tinta. O seu teor é corrigido, conforme a necessidade, momentos antes da aplicação, pois a capacidade de absorção do substrato depende da viscosidade da tinta , da rugosidade e da porosidade. A tinta látex (emulsão aquosa) tem como solvente a água.

Os aditivos são produtos adicionados à tinta em pequenas proporções e com funções específicas. Abrange os secantes, agentes antipele, anti-sedimentantes, dispersantes, nivelantes, antiespumantes e microbiocidas.

A figura acima ilustra a composição genérica de vários tipos de tinta do mercado. A tinta de alto teor de sólidos e a tinta “No VOC” são consideradas ecológicas.

Não basta ser a base de água para a tinta ser considerada ecológica. Além de não conter COVs, ela não deve ter pigmentos à base de metais pesados, fungicidas sintéticos ou derivados de petróleo.

Além dos produtos que formam barreira, existem os silicones, produtos que não formam barreiras de proteção, mas são conhecidos como produtos de tratamento de superfícies. Os silicones são produtos incolores e hidrófobos, não alteram o aspecto da superfície e repelem a água e água contendo sais dissolvidos, como a maresia.

Nas paredes com reboco, têm de ser aplicadas as seguintes de mãos:

  • selador: composição     líquida que visa reduzir e uniformizar a absorção inútil e excessiva da superfície;
  • emassado: para fechar fissuras e pequenos buracos que ficarem     na superfície e que só aparecem após a primeira demão de selador;
  • aparelhamento: para mudar as condições da superfície, alisando-a ou dando-lhe uma textura especial;

A segunda demão e as subsequentes só poderão ser aplicadas quando a anterior estiver inteiramente seca, sendo observado, em geral, o intervalo mínimo de 24 h entre as diferentes aplicações. Após o emassamento, esse intervalo será de 48 h.

Nas esquadrias de ferro, após a limpeza da peça, serão aplicadas as seguintes demãos:

  • fundo anti-óxido de ancoragem (zarcão ou cromato de zinco)
  • selador
  • emassado
  • fundo mate (sem brilho).

Uma pintura de boa qualidade pode valorizar uma obra simples e de baixo custo, porém, quando mal executada, pode desvalorizar uma construção primorosamente executada. Importante usar as ferramentas adequadas a cada etapa da pintura.

Os pincéis e trinchas são utilizados para aplicação de esmaltes, vernizes, tintas a óleo, tintas látex e complementos tais como: fundos para madeiras, fundos para metais, seladores, etc. São usados principalmente para pintar detalhes, cantos e “recortes”. Também são muito utilizados em superfícies maiores e lisas como portas e janelas.

Rolos de lã para epóxi foi desenvolvido para aplicação de tintas à base de resina epóxi. Porém, embora possua pelos mais curtos, proporciona um ótimo acabamento em tintas à base de água, principalmente acrílicas.

Rolos de espuma são rolos desenvolvidos para aplicação de esmaltes, vernizes, tintas a óleo e complementos tais como: fundos para madeiras, fundos para metais, etc. São confeccionados em espuma de poliéster.

Rolos de espuma rígida (para texturização) são utilizados para aplicações de produtos que proporcionam acabamentos texturizados.

Rolos de lã de carneiro ou lã sintética são usados para aplicação de tintas à base d’água, látex PVA e acrílico.

Espátulas de aço são normalmente usadas para aplicação de massas em pequenas áreas e remoção de tintas.

Desempenadeiras de aço são usadas para a aplicação de massas em grandes áreas.

Bandejas ou caçambas para pintura têm a função de acondicionar a tinta durante sua aplicação facilitando a transferência da tinta para a ferramenta (rolo ou pincel).

Lixas têm a função de uniformizar a superfície e criar pontos de aderência para a pintura. Nos sistemas de pintura são usados basicamente quatro tipos de lixas, sendo basicamente as lixas para alvenaria (com grana 80 a 150), para massas (com grana 220 a 240), para madeira (com grana 180 a 240) e para metais (com grana 150 a 220).

Revólver ou pistola de pintura é largamente usada em pinturas de automóveis, podendo também ser usada em pinturas imobiliárias na aplicação de esmaltes, vernizes e tintas à óleo.

O Air less tem a capacidade de aplicar qualquer tipo de tinta látex (PVA ou acrílica), esmalte, vernizes e tintas a óleo. Trabalha com sistema de pressão, com pistola própria e um recipiente central de tinta. É muito usado em áreas internas e externas para pintura de locais de difícil acesso ou em grandes áreas. A principal vantagem deste equipamento é a rapidez na execução da pintura , entretanto apresenta como desvantagem o cuidado maior que se deve ter com móveis, janelas, portas, etc., que devem ser muito bem protegidos.

Sobre o revestimento externo, a pintura deve evitar a desagregação do material e a absorção da água da chuva, impedindo o desenvolvimento de mofo no interior da edificação. Sobre o revestimento interno, ajuda na melhor distribuição da iluminação e facilita a limpeza e manutenção da higiene, além de proporcionar um aspecto agradável ao ambiente.

Resumo das aplicações indicadas de acordo com o substrato:

As principais caracteristicas de uma tinta de boa qualidade são:

  • Pintabilidade: Facilidade de aplicação – a tinta deve espalhar-se com facilidade sem resistir ao deslizamento do pincel ou rolo.
  • Nivelamento: As marcas de pincel ou rolo devem desaparecer pouco tempo após a aplicação da tinta deixando uma película uniforme.
  • Secagem: A secagem de uma tinta não deve ser tão rápida, nem tão lenta, deve permitir o espalhamento e o repasse uniforme, não atrasando a aplicação das demãos posteriores.
  • Poder de cobertura: A tinta deve cobrir completamente a superfície pintada, com o menor número de demãos.
  • Rendimento: Terá maior rendimento a tinta que cobrir a maior área por galão, por demão, com igual poder de cobertura.
  • Estabilidade: Deve apresentar estabilidade durante o armazenamento. Não deve formar nata demasiadamente grossa na superfície,que não seja removível com espátula.
  • Propriedades de resistência / Durabilidade: Capacidade da tinta em permanecer por longo tempo igual ao seu aspecto inicial de aplicação, resistindo a ação da chuva, raios solares,maresia etc.
  • Lavabilidade: Capacidade de uma tinta resistir à limpeza com agentes químicos de uso doméstico, por exemplo : sabão, detergente, amoníaco etc.
  • Transferência : capacidade de uma tinta no momento da aplicação, de passar do rolo à parede sem esforço,além de não respingar.
  • Cheiro: O odor não deve atrapalhar o aplicador, e após a sua aplicação desapareça do ambiente no menor tempo possível.

As principais patologias de pinturas são:

  • Desagregamento: É o descascamento da pintura da superfície juntamente com partes do reboco, tornando-se esfarelado. Ocorre quando a tinta é aplicada sobre superfície de reboco novo não curado ou quando há infiltração de umidade.

  • Descascamento: Pode ocorrer quando a pintura for executada diretamente sobre superfícies pulverulentas, tais como: caiação, partes soltas, reboco novo não selado ou gesso.

  • Eflorescência: Manifestam-se como machas esbranquiçadas na superfície pintada. Ocorre quando a tinta foi aplicada sobre reboco úmido ou devido a infiltração. Isso ocorre devido a migração de umidade do interior para o exterior em paredes de reboco novo ou velho, cimento, fibrocimento, tijolos etc., carregando consigo sais solúveis.

  • Mofo, bolor ou fungos: Constituem-se em um grupo de seres vivos, que se proliferam em condições favoráveis, em especial climas quentes, úmidos, mal ventilados ou mal iluminados. Produzem o escurecimento da película decompondo-a. Deve-se lavar a superfície com uma solução de água com água sanitária na proporção 1:1, molhando constantemente a superfície durante um período de 6 horas. Lavar a superfície somente com água em abundância. Deixar secar e repintar.

Resumo das causas e correções das patologias:

Desagregação é caracterizada pela destruição da pintura que se esfarela, destacando-se da superfície juntamente com parte do reboco.

Bolhas ocorrem porque o látex se dilata, ou quando a massa corrida usada tem pouca resina.

Eflorescências são depósitos cristalinos de cor branca que surgem na superfície do revestimento, como pisos (cerâmicos ou não), paredes e tetos, resultantes da migração e posterior evaporação de soluções aquosas salinizadas.

Os depósitos acontecem quando os sais solúveis nos componentes das alvenarias, nas argamassas de emboço, de fixação, de rejuntamento ou nas placas cerâmicas são transportados pela água utilizada na construção, na limpeza ou vinda de infiltrações, através dos poros dos componentes de revestimento.

Em situações com ambientes constantemente molhados e com algum tipo de sais de difícil secagem, estes depósitos apresentam-se com uma “exsudação” na superfície, aparentando então a cor branca nas áreas revestidas, comprometendo os aspectos relacionados à estética.

Em relação às patologias em pinturas com tinta látex, logo após a pintura de uma superfície, podem ocorrer manchas causadas por pingos de chuva que, ao molharem a pintura, trazem à superfície os materiais solúveis da tinta.

A saponificação ocorre devido à alcalinidade natural da cal e do cimento que, na presença de umidade, causa uma reação com a resina que compõe a tinta látex.

Durante a aplicação da tinta observou-se a ocorrência de diferença na tonalidade. Tal patologia pode ser sanada por meio de aplicação de uma demão de tinta em todo o ambiente, sobre tintas já secas e curadas.

Os possíveis defeitos nas áreas onde foram realizadas pinturas podem ter origem na qualidade da tinta, na aplicação ou na preparação da superfície. Entende-se por calcinação a falta de adesão devido à tinta ser aplicada sobre superfície inadequada ou sobre graxas, óleos e gorduras, acarretando a polimerização progressiva

De acordo com a NBR 15156/2015, temos as seguintes definições:

A tinta de fundo (primer) é aquela que tem propriedades anticorrosivas, adequada para aplicação direta sobre a superfície e como base para demãos subsequentes.

A tinta bicomponente é um produto apresentado em dois componentes cuja mistura obrigatória resulta em reação de polimerização e cura da película.

A tinta antiderrapante é aquela que incorpora abrasivos em sua fórmula ou após sua aplicação com a finalidade de impedir a derrapagem.

A tinta fluorescente é aquela que emite luz ao se incidir sobre ela um feixe luminoso, cessando quando a fonte de luz cessa.

Importante salientar que a fluorescência e a fosforescência são tipos diferentes de luminescência, ou seja, de emissões de radiações, que podem ser visíveis ou não e que ocorrem sem a necessidade de temperaturas elevadas, podendo ser, por exemplo, resultado da absorção de energia da luz:

  • Fluorescente: uma substância assim absorve energia da luz fornecida por determinada fonte e emite radiação visível, porém, quando o fornecimento de energia acaba, a emissão da radiação para imediatamente.
  • Fosforescente: Da mesma forma que ocorre na fluorescência, na fosforescência, uma substância emite radiação visível porque absorve energia da luz fornecida por determinada fonte. Entretanto, nesse caso, mesmo depois que o fornecimento de energia parou, a substância fosforescente continua por algum tempo emitindo luz visível. Esse tempo pode variar desde frações de segundos até dias.

A tinta anti-incrustante é aquela que contém aditivos que impedem a incrustação de organismos marinhos.

Para o preparo de superfícies em bom estado para pintura, no caso de emboço, reboco ou concreto recém executado, deve-se aguardar a cura e a secagem por, no mínimo, 30 dias, lixar e eliminar o pó e aplicar selador para alvenaria.

As tintas epóxi ou bi-componentes têm maior resistência à abrasão e à água e apresentam maior aderência e dureza que as tintas látex.

A pintura com tinta látex (PVA) possui tempo de secagem final de vinte e quatro horas para ambientes internos e de setenta e duas horas para ambientes externos.

A cobertura de uma tinta é a propriedade do material, ao revestir o substrato no qual foi aplicado, proporcionar opacidade. A cobertura é uma propriedade que pode ser verificada tanto no filme úmido quanto no seco e está relacionada à presença de um complemento denominado pigmento.

Na escolha das tintas a serem utilizadas para a pintura de ambientes internos de uma edificação residencial, optou-se pela utilização de tintas látex PVA. A ferramenta mais indicada para a sua aplicação é o rolo de lã de carneiro.

Para a fabricação das tintas, sabe-se que a resina resulta de um aglutinante não volátil.

Quanto à pintura de um substrato, a tinta de acabamento: é a parte visível de todas as camadas da pintura, desde o selador passando pela massa corrida, apresenta as propriedades ao fim a que se destina inclusive a tonalidade.

Na aplicação da tinta na superfície há vários processos de aplicação. O processo que é o mais rápido e que proporciona acabamento de melhor qualidade é a aplicação através da nebulização a ar comprimido – consiste na introdução da tinta num fluxo rápido de ar por meio de um sistema de orifícios adequados, subdividindo-a em minúsculas gotas. Nebulização sem ar – uma bomba de altapressão força a tinta por um bocal estreito, ela se divide em gotículas devido à alta velocidade. Nebulização eletrostática – a tinta é expelida pela borda afilada de um copo ou disco rotativo. Esse copo ou disco é ligado a uma fonte de alta tensão (10.000 – 1.000.000 volt), resultando em uma névoa de partículas de tinta eletricamente carregadas, que serão atraídas pelas peças ou artigos a serem pintados ligados à terra.

A má execução da pintura pode causar vários efeitos em uma superfície. Aquele efeito que é causado por pintura sem pigmentação, semelhante a um verniz ou manchada é causado por tinta não bem mexida na lata antes da aplicação.

Para se aplicar uma camada de tinta acrílica sobre um revestimento executado com argamassa à base de cimento Portland, é necessário verificar se ainda está ocorrendo a exsudação da água da mistura, devido à cura do cimento Portland, pois só é possível a aplicação da tinta após o término desse fenômeno.

Quanto às características das tintas:

  • A tinta com resina alquídica é recomendada para madeira e metais.
  • A tinta epóxi possui alta resistência mecânica sendo indicada para ambientes externos.
  • A tinta acrílica brilhante possui menor teor de resina que a tinta fosca.
  • O verniz poliuretano possui alta resistência aos raios ultravioleta.

Quanto ao uso de tintas em estruturas metálicas:

  • Tinta alquídica é indicada como acabamento de estruturas em ambientes pouco agressivo
  • Tinta intumescente aumenta a resistência das estruturas metálicas ao incêndio
  • Tinta epóxi betuminosa é recomendada para tubulações com efluentes de esgoto.
  • Tinta epoximastic Utilizada como fundo e acabamento

A fiscalização deverá verificar, entre outros, os seguintes aspectos:

  • as entregas das tintas na obra em sua embalagem original e intacta;
  • a perfeita limpeza e secagem dos locais antes da aplicação da pintura;
  • a correta aplicação das demãos de tinta, o sentido de aplicação e o número de demãos, de acordo com as especificações técnicas e recomendações do fabricante;
  • a proteção das esquadrias de alumínio, metais, aparelhos sanitários e pisos sujeitos a danos.

Sobre a madeira, além da contribuição decorativa, a pintura evita a absorção da umidade, evitando rachaduras e apodrecimento. Sobre o ferro, a pintura adequada auxilia a evitar a corrosão. Sobre metais galvanizados, a pintura aplicada com a devida precaução colabora para o aumento da vida útil da galvanização.

São cuidados com o preparo do substrato em serviços de pintura:

  • alvenarias com partes soltas ou caiadas devem ser raspadas ou escovadas até a completa remoção;
  • superfícies com manchas de gordura precisam ser lavadas com solução de água e detergente neutro, após isso enxaguadas e secadas;
  • paredes mofadas devem ser primeiramente lavadas com uma mistura de água limpa e água sanitária, após isso enxaguadas e secadas;
  • superfícies com imperfeições profundas do reboco podem ser corrigidas com argamassa confeccionada com areia.

Se a pintura de látex for aplicada sobre paredes revestidas com reboco indevidamente curado podem formar-se bolhas que se esfarelam com o tempo e que contêm em seu interior pó proveniente do reboco. Esse tipo de defeito da pintura é conhecido como desagregamento.

Na especificação de tintas, o primeiro critério é a definição da superfície onde o revestimento será aplicado: alvenaria, metal ou madeira. O segundo critério é com relação à posição do ambiente: interno ou externo. Para portas de madeira, em ambiente externo, um tipo de tinta recomendado é o verniz.

De acordo com o seu desempenho, as tintas látex são apresentadas em três níveis de classificação: Econômica, Standard e Premium.

Nas paredes internas, recomenda-se para as superfícies novas de reboco a aplicação de Selador Acrílico, Massa Corrida e tinta Látex Econômica.

Nas paredes externas, cuja superfície está com caiação ou pintura degradada pelo sol, recomenda-se Fundo Preparador para superfícies, Selador Acrílico, Massa Acrílica e tinta Látex Standard.

A ABNT NBR 15575-1:2013 estabelece que a Vida Útil de Projeto para os sistemas de pinturas de fachada deve ser de, no mínimo, 8 anos.

Nos locais confinados e onde são executados pinturas, aplicação de laminados, pisos, papeis de parede e similares, com emprego de cola, bem como nos locais de manipulação e emprego de tintas, solventes e outras substâncias combustíveis, inflamáveis ou explosivas, devem ser tomadas as seguintes medidas de segurança:

  • evitar, nas proximidades, a execução de operação com risco de centelhamento, inclusive por impacto entre peças.
  • proibir fumar ou portar cigarros ou assemelhados acesos, ou qualquer outro material que possa produzir faísca ou chama.
  • manter cola e solventes em recipientes fechados, evitando o contato com o ar.
  • instalar sistema de ventilação adequado para a retirada de mistura de gases, vapores inflamáveis ou explosivos do ambiente.
  • utilizar obrigatoriamente lâmpadas e luminárias à prova de explosão.

Para finalizar, uma curiosidade o uso de óleo de linhaça previamente à aplicação de vernizes e tintas inibe a segmentação e cura da película de cobertura.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of