fbpx 260711774397346
Diplomacia

O novo currículo dos diplomatas

By 10 de abril de 2019 No Comments

Novos diplomatas foram empossados no Ministério das Relações Exteriores (MRE), no dia 1º de fevereiro de 2019. Trata-se dos aprovados no Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD) de 2018.

Nos termos da Lei do Serviço Exterior (Lei nº 11.440, de 29 de dezembro de 2006), os selecionados pelo CACD são obrigatoriamente matriculados no  Curso de Formação de Diplomatas (CFD), realizado pelo Instituto Rio Branco (IRBr), que tem duração de três a quatro semestres.

A aprovação no CFD é condição para confirmação na carreira e posterior aquisição da estabilidade, ao término do período de estágio probatório. Tratamos desse assunto no post O probatório e o Curso de Formação.

Por ocasião da nova turma, a grade curricular do CFD foi reformada pela diretoria do IRBr. As alterações foram publicadas na Portaria de 1 de fevereiro de 2019. A grade de disciplinas e professores ficou da seguinte maneira, em tabela criada por nós:

 

Disciplina Professor
Administração e Gestão no MRE Almir Lima Nascimento

Rodrigo Meirelles Gaspar Coelho

Administração Pública Francisco Gaetani

Ricardo de Lins e Horta

Árabe Abdulbari Naser
Chinês Zhang Honghua
Clássicos Fabio Mendes Marzano
Comércio Internacional e Promoção da Produção Nacional Leonardo de Almeida Carneiro Enge

Ruy de Freitas Ciarlini

Defesa, Segurança e Política Externa Alessandro Warley Candeas
Diplomacia e Relações Públicas Cristina Moretti

Patrícia Regina Marins

Direito Constitucional e Administrativo José Levi Mello do Amaral Junior
Direito e Prática Consular Maria Luiza Lopes Ribeiro da Silva
Direito Internacional Público George Rodrigo Bandeira Galindo

Guilherme Del Negro Barroso Freitas

Economia Ivan Tiago Machado Oliveira

José Carlos de Oliveira

Espanhol Dulce Maria Casilha Andrigueto

Maria del Mar Paramos Cebey

Pedro Delgado Hérnandez

Francês Jérôme Christian Aurélien Bertheau

Maria Antonietta Barbosa Ribeiro

Olivier Chopart Streit

História e Pensamento Diplomático Brasileiro Hélio Franchini Neto

Sérgio Augusto de Abreu e Lima F. Sobrinho

Inglês Peter Michael Leamy

Sara Burkitt Walker

Susan Catherine Casement Moreira

Leituras Brasileiras Maria Angélica Brasil Gonçalves Madeira

Mariza Veloso Motta Santos

Língua Portuguesa e Cultura Brasileira Norma Regina Oliveira de Castro
Linguagem Diplomática Gustavo de Sá Duarte Barboza

Luís Pinto Costa

Organizações Econômicas Internacionais e Contenciosos Fabiano Burkhardt

Marcus Vinícius da Costa Ramalho

Planejamento Diplomático Alberto Luiz Pinto Coelho Fonseca

Guilherme Fernando Rennó Kisteumacher

Política Internacional Achilles Emilio Zaluar Neto

Hélio Franchini Neto

Russo Dina Chetvertak
Técnicas de Negociação Kenneth Félix Haczynski da Nóbrega

Leonardo Fernandes Rodrigues Cardote

 

São 24 disciplinas e 42 professores. No entanto, nem todas as disciplinas são obrigatórias. Há algumas de caráter eletivo e também outras que são apenas para alunos estrangeiros, que participam do CFD por meio de convênios dos seus países com o IRBr.

Ao comparar-se a grade atual com a informada no Programa de Trabalho de 2018, dedicado aos diplomatas selecionados no CACD de 2017, percebe-se que a maior parte da composição foi mantida.

No entanto, ainda que aparentemente discreta, a reforma provocou repercussão. O próprio MRE, em mensagem de boas vindas aos novos diplomatas, divulgada no seu perfil do Facebook, destacou a proposição da nova grade :

“[…] Este ano, o currículo do curso passou por reformulação com o objetivo de reforçar conteúdos de cultura clássica e para aprofundar a formação profissional.”

Também destacando a nova ênfase em cultura clássica, o jornalista Ricardo Della Coletta fez a seguinte chamada, na Folha de S. Paulo:

“Ernesto Araújo exclui curso sobre América Latina de formação de diplomatas: Chanceler reestrutura currículo do Instituto Rio Branco e dá ênfase à leitura de autores clássicos.”

O jornalista André Duchiade, por sua vez, destacou mudanças na ementa de uma disciplina que foi mantida, mas sob novo professor. O jornalista fez a seguinte manchete, no Jornal O Globo:

“Novo curso do Itamaraty quer ‘distanciar’ novos diplomatas de suas ‘amarras ideológicas’: ementa da disciplina de Política Internacional provoca estranheza e críticas de especialistas […]”.

Possivelmente, Duchiade teve acesso à ementa da disciplina por meio da Lei de Acesso a Informação, como pode ser visto nesta solicitação aqui. Para grades e ementas antigas, confira solicitações de anos anteriores, de 2016 a 2018, respectivamente: aqui, aqui e aqui.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of