fbpx 260711774397346
Engenharia

Discursivas de Arquitetura

By 15 de julho de 2019 No Comments

Arquitetura

Arquitetura é uma disciplina muito importante em concurso público para engenharia civil. (naturalmente que para arquiteto também). Neste artigo, trazemos questões discursivas de concursos anteriores sobre Arquitetura, Conforto Ambiental, Sustentabilidade e Acessibilidade. Assim, você pode aprofundá-los e revisá-los.

Discursivas

Marcar certo ou errado, ou fazer uma prova de múltipla escolha requer cuidado e atenção. No entanto, para fazer uma boa prova discursiva é preciso algo mais, pois ao contrário dos outros formatos, os “chutes” não são possíveis.

O segredo para uma boa prova discursiva, na verdade, não é um segredo. São dicas que, combinadas com bastante treino, podem transformar a maneira como encara uma prova discursiva.

Na sequência, apresentamos questões de Arquitetura. Você encontra questões objetivas e discursivas gratuitamente, filtrada por disciplina e assunto  no https://engcivil.maquinadeaprovacao.com.br/

Arquitetura

TCE-PA

Ano: 2013

Banca: AOCP

Pergunta

A elaboração do projeto de arquitetura de um empreendimento compreende fases que se caracterizam como blocos sucessivos de coleta de informações, desenvolvimento de estudos/serviços técnicos e emissão de produtos finais. Descreva quais são as fases de projeto arquitetônico e o que constitui cada uma delas. 

Resposta

As fases para elaboração do projeto de arquitetura, segundo a NBR 6492:1994, são: Estudo Preliminar, Anteprojeto e Projeto Executivo.

O Estudo Preliminar é constituído do estudo de viabilidade e do partido arquitetônico a ser adotado, sendo submetido à apreciação e aprovação preliminar do cliente. Devem ser apresentados nesta fase a planta de situação, plantas, cortes, fachadas e um memorial justificativo.

No Anteprojeto é definido o partido arquitetônico e os elementos construtivos, considerando os projetos complementares. Nesta etapa, o projeto deve receber a aprovação final do cliente e dos órgãos oficiais. Devem ser apresentados nesta fase a planta de situação, planta de locação, plantas, cortes, fachadas, memorial com detalhes construtivos, discriminação técnica e lista preliminar de materiais. 

O Projeto Executivo deve apresentar, de forma clara e organizada, todas as informações necessárias à execução da obra e todos os serviços inerentes. Devem ser apresentados nesta fase a planta de locação, plantas, cortes, fachadas, detalhamento, discriminação técnica, especificações e lista de materiais.  

Conforto Ambiental

TRE-AC 

Ano: 2015

Banca: AOCP

Pergunta

Para uma edificação construída em região de clima quente e seco, liste cinco estratégias construtivas para a obtenção de conforto térmico nas edificações. Explique brevemente o funcionamento de cada estratégia indicada.

Resposta

Pintar as paredes expostas ao sol com cores claras: diminuição do ganho de calor solar, pois cores claras absorvem menos calor do sol devido à baixa absorbância. 

Utilizar telhas de cor clara, de preferência cerâmicas e não de fibrocimento: as cores claras diminuem o ganho de calor pela cobertura da edificação e as telhas cerâmicas não esmaltadas trocam calor com o ar externo. 

Mantas de alumínio polido como subcobertura de telhados: diminuem a emissão de calor para os ambientes internos. 

Efetuar estudo da orientação das edificações em relação à trajetória solar: propiciar a insolação adequada dos ambientes internos, favorecer a iluminação natural e diminuir os ganhos de calor pelas superfícies externas. 

Orientar aberturas em relação à direção predominante dos ventos: favorecer a ventilação natural dos ambientes, propiciar ventilação suficiente dos ambientes internos. 

Fazer o tratamento do entorno da edificação: diminuir a área impermeável de ruas e calçadas (asfalto, concreto), utilizar a presença de água e vegetação para a diminuição da temperatura do ar. 

Sombreamento adequado das aberturas envidraçadas: impedir a entrada de radiação solar direta nos ambientes. 

Utilizar materiais transparentes e translúcidos com cautela nas fachadas: controlar o ganho de calor pela incidência solar. 

Utilizar vegetação (telhado verde) sobre a laje de cobertura: maior isolamento térmico da cobertura, a evapotranspiração da grama retira calor da laje.

Utilizar isolamento térmico com cautela: o isolamento térmico impede a entrada de calor nos ambientes, mas também impede a saída do calor gerado internamente para o exterior. Dessa forma é mais indicado para climas frios. 

Utilizar refrigeração evaporativa externa ou internamente: diminuição da temperatura do ar e de coberturas.

MPOG

Ano: 2015

Banca: Cespe

Pergunta

O selo PROCEL Edificações e o LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) são certificações de eficiência energética em edificações. O primeiro, estabelecido em novembro de 2014, é um instrumento de adesão voluntária que tem como objetivo principal identificar as edificações que apresentem as melhores classificações de eficiência energética em uma dada categoria, motivando o mercado consumidor a adquirir e utilizar imóveis mais eficientes. Este é um setor de extrema importância no mercado de energia elétrica, representando cerca de 50% do consumo de eletricidade do país.

Já o LEED é um sistema internacional de certificação e orientação ambiental para edificações utilizado em cento e quarenta e três países e tem o intuito de incentivar a transformação dos projetos, obras e operação das edificações, sempre com foco na sustentabilidade de suas atuações. Considerando que sistemas de climatização podem representar mais que 40% de todo o consumo energético de um edifício, esforços no sentido de otimizar esses sistemas merecem muita atenção.

A escolha do sistema mais adequado requer muita análise e experiência do projetista. Portanto, os parâmetros observados na escolha do sistema e a análise dos prejuízos que podem advir de uma instalação, manutenção e operação inadequados são muito importantes e devem ser considerados.

Considerando que o fragmento de texto acima tem caráter unicamente motivador, redija um texto dissertativo acerca do seguinte tema. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E SUSTENTABILIDADE EM SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO – Ao elaborar seu texto, aborde os seguintes aspectos:

  1. características dos diversos sistemas existentes no mercado (princípio de funcionamento, dimensionamento, custo, manutenção, conforto térmico, automação); 
  2. artifícios para diminuição da carga térmica e impactos ambientais. 

Resposta

A crescente demanda por edifícios cada vez mais sustentáveis tem gerado aumento na procura por melhores soluções de engenharia de ar condicionado. O bom projeto é a base para que o sistema de ar condicionado proporcione simultaneamente conforto térmico, eficiência energética, economia e baixo impacto ambiental.

Entretanto, a correta instalação, operação e manutenção também têm importância fundamental para o desempenho dos equipamentos. Os sistemas de condicionamento de ar são separados em dois grupos: expansão direta e expansão indireta. Entre os sistemas de expansão direta, sob os quais o fluido refrigerante resfria diretamente o ar, podem-se citar os sistemas arcondicionado de janela (ACJ), split, VRF (variable refrigerant flow) e self contained.

Os ACJs e splits são geralmente indicados para atender pequenas áreas e têm custos de instalação e manutenção reduzidos. Esses sistemas possuem poucos recursos para automação, mas proporcionam bom controle de temperatura e vazão do ar. Sistemas VRF e self contained são mais modernos e utilizam gases com menor impacto ambiental, como o R410a, com controle de rotação do compressor, fazendo que haja menos partidas do compressor e, com isso, tornando o sistema mais eficiente e reduzindo a flutuação de temperatura do ambiente. São recomendados para atender médias e grandes áreas e possuem grande capacidade de automação. Seus custos de instalação e manutenção são mais elevados, se comparados aos splits.

Já os chillers, sistemas em que o fluido refrigerante resfria um fluido intermediário (água ou etilenoglicol) para depois resfriarem o ar ambiente, são recomendados para atender grandes áreas. Têm custo de instalação, manutenção e operação elevados, mas possuem grande versatilidade para expansão e automação, além de facilitarem o reaproveitamento do calor rejeitado nas torres de resfriamento para aquecimento de água, por exemplo.

Entre os artifícios para a diminuição da carga térmica de um edifício podem-se citar a escolha da orientação da fachada, evitando-se que seu maior comprimento esteja voltado para o leste ou oeste, e o aproveitamento de sombreamentos e correntes de ar naturais. A escolha de materiais da envoltória do edifício deve propiciar o melhor conforto térmico e iluminação natural, de forma a se ter menor carga térmica devido à iluminação.

O isolamento térmico das partes opacas da envoltória é extremamente vantajoso, pois a transmissão de calor não vem acompanhada pela iluminação nesse caso. Uma fonte de redução de eficiência em sistemas de climatização é o vazamento de ar por frestas, janelas e portas do edifício, as quais devem ser evitadas. O uso de equipamentos com baixa geração de calor, como iluminação a LED, aquecimento solar em vez de caldeiras, equipamentos eletroeletrônicos mais eficientes, automação predial com sensores de presença, de temperatura e concentração são medidas eficientes para a diminuição da carga térmica de um edifício.

Também devem ser considerados os sistemas de termo acumulação, que geram gelo em períodos de tarifa mais baixa e resfriam a água nesse gelo em períodos de tarifa mais alta para atender a carga térmica do edifício. Adicionalmente, os processos de escolha, instalação, manutenção e operação de um sistema de condicionamento de ar devem seguir as normas vigentes, para se garantir melhor eficiência.

Cada sistema possui suas particularidades, vantagens e limitações, que devem ser respeitadas. O dimensionamento deve contemplar a possibilidade de expansão do sistema, mas também deve-se precaver contra o superdimensionamento, que irá causar aumento desnecessário no consumo de energia.

Sustentabilidade

Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul

Ano: 2011

Banca: AOCP

Pergunta

Discuta a relação desenvolvimento econômico e qualidade ambiental.

Resposta

O desenvolvimento econômico de um país está diretamente relacionado ao consumo de matérias-primas ainda provenientes de fontes de recursos não renováveis, ocasionando a degradação ambiental. 

O conceito de desenvolvimento sustentável vinculou o desenvolvimento econômico à proteção e preservação do ambiente, priorizando a implantação de tecnologias que garantam a qualidade ambiental e de vida, tais como o uso de fontes alternativas de energia, co-geração, uso de biomassa e biodiesel; reuso, reciclagem e aumento do ciclo de vida de produtos; redução do uso de matérias-primas provenientes de fontes não-renováveis; planejamento e gerenciamento das questões ambientais do projeto à destinação adequada dos resíduos gerados no processo produtivo, entre outras alternativas. Assim, faz-se necessário a implantação de políticas públicas e privadas de planejamento e desenvolvimento adequadas e sustentáveis, além de investimentos diretos em ciência, tecnologia e educação. 

BNDES

Ano: 2011

Banca: Cesgranrio

Pergunta

O Protocolo de Quioto estabeleceu três Mecanismos Adicionais de Implementação em complementação às medidas de redução de emissão e remoção de gases de efeito estufa implementadas pelas Partes no Anexo I. Entre esses mecanismos, destaca-se o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) como um instrumento econômico que visa a facilitar o cumprimento das metas desse Protocolo.

Nessa perspectiva, descreva:

a) em que consiste o MDL.

b) o objetivo do MDL.

c) quem pode participar do MDL.

Resposta

O Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL, ou Clean DevelopmentMechanism, CDM, em inglês) consiste na possibilidade de um país que tenha compromisso de redução de emissões (países inseridos no Anexo I) adquirir Reduções Certificadas de Emissões (RCEs), geradas por projetos implantados em países em desenvolvimento (países não inseridos no Anexo I), como forma de cumprir parte de suas obrigações quantificadas no âmbito do Protocolo. 

A ideia consiste em que um projeto gere, ao ser implantado, um benefício ambiental (redução de emissões de GEE ou remoção de CO2) na forma de um ativo financeiro, transacionável, denominado Reduções Certificadas de Emissões. 

Tais projetos devem implicar reduções de emissões adicionais àquelas que ocorreriam na ausência do projeto registrado como MDL, garantindo benefícios reais, mensuráveis e de longo prazo para a mitigação da mudança global do clima, nos termos do Artigo 12 do Protocolo de Quioto.

O objetivo do MDL, como definido no Artigo 12 do Protocolo de Quioto, é assistir: (i) às Partes não constantes do Anexo I para que contribuam com o objetivo final da Convenção – ou seja, alcançar a estabilização das concentrações de GEE na atmosfera em um nível que impeça uma interferência antrópica perigosa no sistema climático – e para que atinjam o desenvolvimento sustentável por meio da implementação de atividades de projeto; e (ii) às Partes no Anexo I para que cumpram suas obrigações quantificadas de limitação e reduções de emissões.

Podem participar de uma atividade de projeto de MDL entidades públicas, privadas e parcerias público-privadas das Partes no Anexo I e das Partes não constantes do Anexo I, desde que devidamente autorizadas pelos respectivos países. O MDL é um mecanismo de mercado que estimula a ativa participação do setor privado, com sua reconhecida agilidade, flexibilidade e capacidade de resposta. Além disso, o engajamento deste setor é crucial para a efetividade das ações de mitigação.

Acessibilidade

Caixa

Ano: 2012

Banca: Cesgranrio

Pergunta

Um engenheiro foi solicitado a elaborar um parecer sobre as condições de uma rampa externa em rota acessível, executada em um edifício recém-construído.

Visitando o local, ele verificou que a largura da rampa atendia ao fluxo de pessoas e que não havia inclinações transversais nem paredes laterais, mas guarda-corpos metálicos em ambos os lados, firmemente fixados ao piso.

Os esquemas a seguir apresentam as medidas e os elementos encontrados no local. Baseado na NBR 9050:2004 (Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos), o engenheiro constatou que o fato de haver guarda-corpo contínuo dos dois lados, sem interrupção no patamar, atende a uma das prescrições dessa norma.

Constatou também que a rampa não apresentava inclinações transversais, as quais são limitadas pela norma em 3% para rampas externas. Levando em conta essa norma, apresente uma análise, que servirá de subsídio ao engenheiro para elaboração do parecer, considerando os seguintes elementos técnicos: largura da rampa, inclinação dos segmentos da rampa, patamar entre os segmentos, guarda-corpos e corrimãos.

Em sua análise, aborde quatro aspectos desses elementos e justifique a conformidade ou não com a referida norma, comparando as características ou medidas executadas com as estabelecidas na NBR 9050:2004.

acessibilidade

Resposta

A largura da rampa atende à norma, pois apresenta largura livre de 1,62 m e a norma estabelece largura livre mínima recomendável de 1,50 m, sendo o mínimo admissível 1,20 m.

Quanto à inclinação dos segmentos de rampa, os dois segmentos apresentam inclinação de 5% e vencem desníveis de 1,50 m. Portanto, atendem à norma, que prescreve valores de 5% com desnível máximo de 1,50 m para cada segmento, sem limite da quantidade de segmentos e com desnível máximo de 1,50m por segmento.

Em relação ao comprimento do patamar, de 1,50 m, não atende ao prescrito na norma, ou seja, que patamares situados em mudança de direção devem ter dimensões iguais à largura da rampa, que nesse caso é 1,60 m.

Para rampas com inclinação de 5%, o desnível máximo de cada segmento de rampa é de 1,50 m. No caso em questão, em função da altura a ser vencida de 3,00 m, deve existir um patamar entre os segmentos.

Já o guarda-corpo não atende à norma, pois tem altura de 0,85 m e, segundo a norma, rampas que não forem isoladas das áreas adjacentes por paredes devem dispor de guarda corpo, associado ao corrimão, com altura de 1,05 m.

O corrimão integrado ao guarda-corpo tem altura de 0,85 m e não atende ao prescrito na norma, que estabelece que os corrimãos laterais devem se instalados a duas alturas: 0,92 m e 0,70 m, medidas a partir da geratriz superior.

Ainda, o corrimão termina 0,20 m depois do início e 0,20 m antes do fim da rampa e está em desacordo com a norma, que estabelece que os corrimãos devem prolongar-se pelo menos 30 cm antes do início e após o término da rampa, sem interferir com a área de circulação ou prejudicar a vazão.

Quanto à seção transversal do corrimão, atende à norma, pois têm diâmetro de 3,0 cm e a norma estabelece que corrimãos devem ter largura entre 3,0 cm e 4,5 cm, sem arestas vivas.

Quanto ao acabamento nas extremidades do corrimão, não atende, pois as extremidades dos corrimãos devem ter acabamento recurvado, ser fixadas ou justapostas à parede ou piso, ou ainda ter desenho contínuo, sem protuberâncias.

A guia de balizamento não está em conformidade com a norma, pois quando não houver paredes laterais, as rampas devem incorporar guias
de balizamento com altura mínima de 0,05 m, instaladas nos limites da largura da rampa e na projeção dos guarda-corpos.

Desenbahia

Ano: 2014

Banca: ESSP

Pergunta

A acessibilidade ganhou novos rumos no Brasil nos últimos 30 anos. Cada vez mais nossas construções levam em conta as questões de acesso de pessoas e equipamentos em edifícios, logradouros, passarelas, calçadas, etc, e, em muitas situações até por força de lei. Um dos pilares para os cálculos de espaço são os parâmetros antropométricos para a determinação de das dimensões referenciais. Discorra sobre o que são estes parâmetros.

Resposta

A aplicação dos estudos das medidas físicas nos homens e mulheres, buscando determinar as diferenças entres indivíduos e grupos sociais, com a finalidade de se obter informações utilizadas nos projetos de arquitetura, urbanismo, desenho industrial, comunicação visual, engenharia, e de um modo geral para melhor adequar esses produtos a seus usuários. Devido à diferenças das pessoas, peso, altura, etc, os estudos podem ser específicos para uma determinada população, e o tipo de dificuldade como: Pessoa obesa, Pessoa com mobilidade reduzida e Pessoa em cadeira de rodas.

Dúvidas?

Estuda para concursos de engenharia e está com alguma dúvida?

Ou precisa que um edital seja analisado ou da resposta de questão (objetiva ou discursiva)?

Fico feliz em ajudar. Envie um “oi” para o meu whatsapp.

Baixe AGORA um Ebook com um Manual completo de Engenharia Civil para Concursos Públicos e esteja preparado para toda e qualquer prova na área! É GRÁTIS!

Bons estudos.

Leave a Reply