fbpx 260711774397346
AbinDicasDiplomacia

Arquivo reúne trechos de PEB das mensagens presidenciais

By 21 de maio de 2019 No Comments

Pedro II, em traje majestático, utilizado nas sessões de “fala do trono” (SF)

 

A origem das “mensagens presidenciais”

No Brasil, D. Pedro I foi o primeiro chefe de Estado a apresentar uma mensagem ao congresso na abertura do ano legislativo, em 1823. Inspirado principalmente em costume da monarquia britânica, o ato também encontra semelhança na república americana, por meio do “discurso do Estado da União”, iniciado por George Washington e sintetizado na sigla SOTU (State of The Union address). A prática é mantida até hoje nas três nações, embora só no brasileira tenha mudado de nome.

Inicialmente chamada de “fala do trono”, com o advento do regime republicano, adotou-se o termo comum de “mensagem presidencial”. No entanto, o objetivo do ato foi preservado. Consiste em realizar um balanço das últimas atividades do governo e sensibilizar o poder Legislativo para as questões mais importantes, segundo a visão do chefe da nação.

 

Trechos de PEB e o arquivo do CHDD

Desse modo, inevitavelmente, as mensagem frequentemente dão destaque para assuntos da política externa brasileira (PEB). Concernente do valor histórico dessas menções, o Centro de História e Documentação Diplomática (CHDD), pertencente a estrutura do Ministério das Relações Exteriores, mantém um arquivo, disponível online, contendo o recorte da parte internacionalista de cada uma das mensagens já proferidas por um presidente brasileiro.

É chegado o momento de comunicar-vos, com íntima satisfação, que o novo regime político do Brasil foi reconhecido por quase todos os países da América e da Europa.”

O trecho acima pertence a segunda mensagem declarada por Deodoro da Fonseca, em 15 de junho de 1891, e enfatiza o esforço diplomático para reconhecimento internacional do novo regime político instaurado no Brasil. Com efeito, o arquivo é muito útil para os estudantes do CACD e, de modo geral, muito interessante.

Na página de abertura do site são apresentados retratos de cada um dos presidentes. O “duplo clique” em uma das imagens redireciona o usuário para uma nova aba, com o pdf dos recortes das mensagens do referido presidente.

Interface do site do arquivo (CHDD)

As mensagens e questões do CACD

A leitura é prazerosa e avança rapidamente, pois os trechos não são muito longos. Por exemplo, a parte “internacional” da mensagem do presidente Prudente de Morais, proferida em 1895, tem apenas 3 páginas. Abaixo, um trecho da mensagem e sua relação com uma questão do CACD.

“A questão de limites com a República Argentina, entregue ao julgamento do ilustre Presidente dos Estados Unidos da América, teve, como era de justiça, decisão favorável ao Brasil […]”

“Os limites entre Brasil e Argentina foram arbitrados em laudo exarado pelo rei da Itália.”

Trecho de Prudente de Morais, em 1895.

Questão 39, TPS de 2007.

 

Íntegra das mensagens

No entanto, caso o leitor deseje ver cada uma das mensagens na íntegra, a Presidência da República (PR) mantém um arquivo, também disponível online, com o texto completo de todas mensagens.

Porém, tanto o site do CHDD quanto o da PR fazem referência apenas ao regime republicano. Quanto às mensagens do período imperial, é necessário buscar o arquivo do Senado Federal (SF). Neste link, há uma obra contendo todos os discursos de 1823 até 1889.

Página do livro “Fallas do Throno” (SF)

 Endereços úteis

 

“10 tweets” sobre o CACD

  • O que é Itamaraty?
    É o “apelido” dado ao Ministério das Relações Exteriores (MRE), em referência ao Palácio do Itamaraty, no Rio de Janeiro, que foi sede da diplomacia por mais de 70 anos. O MRE ajuda na elaboração e execução da política externa.

 

  • O que é o CACD?
    A sigla é a redução do título “Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata”. Trata-se do nome dado ao concurso público de provas para ingresso na carreira pública de diplomata, do MRE. Surgiu em 1996. Espera-sa pela 19ª edição do concurso em 2019. 

 

  • O que é o IRBr?
    A sigla é a redução de “Instituto Rio Branco”, órgão vinculado ao MRE, localizado em Brasília e responsável por selecionar e treinar novos diplomatas. O nome faz alusão ao patrono da diplomacia brasileira, Barão do Rio Branco (1845-1912). Surgiu em 1945, no centenário do Barão.

 

  • O que é ser diplomata do Itamaraty?
    A carreira agrega basicamente duas funções: prestar assistência consular a brasileiros frente a governos estrangeiros; ou assistência diplomática do Brasil frente a outros estados. Repartições públicas como Consulados e Embaixadas expressam essa distinção.

 

  • Todos os diplomatas trabalham no exterior?
    Não. Há postos de lotação em Brasília e em diversos estados da federação.

 

  • O que é preciso para ser diplomata?
    Ser brasileiro nato e apresentar diploma de graduação (em qualquer área) após aprovação no CACD. Veja o post: Quem pode ser diplomata?.

 

  • Há restrição de idade para ser diplomata?
    Não há restrição expressa, mas há os limites implícitos da maioridade civil (18 anos) e da aposentadoria compulsória no setor público (75 anos). Veja o post: A legislação e a idade.

 

 

  • O que é ser embaixador?
    É o título dado a quem está no último grau da carreira de diplomata e pode chefiar uma embaixada. São 6 níveis: terceiro-secretário, segundo-secretário, primeiro-secretário, conselheiro, ministro de segunda classe; e ministro de primeira classe (embaixador).

 

 

Quem é Victor Maia?

É o engenheiro do ITA e mestre em estatística da UnB que fundou o EduQC, empresa de tecnologia para estudos. Você pode tê-lo como seu consultor!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of