fbpx 260711774397346
DicasDiplomacia

Dinossauros do CACD: Manuais do Candidato e lista bibliográfica oficial

By 18 de junho de 2019 No Comments

Destaque do painel de azulejos do artista Athos Bulcão, no hall de entrada do IRBr (MRE/Flickr).

A melhor listra bibliográfica

Uma discussão acirrada entre candidatos e até mesmo aprovados, do Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD), é sobre a melhor bibliografia para o concurso. Parodiando o ditado “gosto, cada um tem o seu”, dizemos que “bibliografia, cada um tem a sua”. As divergências são muitas e inevitáveis.

Já havíamos falado um pouco sobre bibliografia nos posts Livraria do Senado oferece obras gratuitamente e A fundação que mais publica livros sobre Relações Internacionais. Mas agora vamos aprofundar o assunto e falar do que era oficial.

Coleção Manuais do Candidato

Um ponto de partida muito indicado, embora não deixe de apresentar controvérsias, era a Coleção Manuais do Candidato, produzida pelo próprio Ministério das Relações Exteriores (MRE), por meio da Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG).

A coleção compreende 10 volumes, um para cada disciplina do concurso, escrito por especialistas nas matérias. O Manual de Geografia, por exemplo, foi escrito pela consagrada geógrafa Bertha Becker.

Material retirado do ar

No entanto, essa coleção não está mais disponível na biblioteca online e loja virtual da FUNAG. Até recentemente, podia-se realizar o download gratuito ou a compra do exemplar físico de um dos volumes por aproximadamente 30 reais.

Especulam-se diversos motivos para que a coleção tenha sido tirada do ar: novas diretrizes editoriais, conteúdo desatualizado ou até mesmo em razão de uma polêmica. Ganharam notoriedade, na mídia, os comentários pejorativos sobre Jair Bolsonaro presentes no manual de História do Brasil, feitos anos antes da eleição pelo autor do livro.

Esse tipo de problema é um exemplo significativo das controvérsias que são levantadas sobre a efetividade dos estudos a partir da coleção. Certamente, estudos focados na aprovação não são beneficiados por análise eleitoral e partidarismo político.

Quando a prova copiou o manual do candidato

Para contrapor a percepção negativa, um exemplo positivo é o caso da prova escrita de Língua Portuguesa, da 2ª fase do CACD de 2016.

A primeira questão solicitava a formulação de uma redação a partir de uma citação de Machado de Assis. A mesma citação estava presente em um exercício de dissertação proposto no manual de Português, lançado 15 anos antes.

2ª fase de 2016, Prova de Português


Manual do Candidato: Português

Manuais para download

Após a exclusão dos manuais do site da FUNAG, eles se tornaram raridade na web. Reunimos os últimos volumes editados e os deixamos disponíveis para download nos links abaixo. Estão organizados por ordem de antiguidade do ano de edição e ordem alfabética. 

A lista bibliográfica oficial sugerida pelo IRBr

Além dos manuais, uma lista bibliográfica muito indicada era a lista bibliográfica oficial sugerida pelo próprio Instituto Rio Branco (IRBr), até 2010.

Por 15 anos (do primeiro CACD, em 1996, até o concurso de 2010), o IRBr divulgou anualmente guias de estudo para os candidatos, de modo a indicar o que poderia cair nas provas, por meio de exercícios e respostas das provas anteriores e da bibliografia oficial para cada disciplina. 

Entretanto, obviamente, essas listas também não escapavam de controvérsias, tanto que a publicação acabou. 

Não é de conhecimento geral por que o IRBr deixou de sugeri-las (há 9 anos). Especula-se que essa prática era sui generis entre concursos públicos; que podia impulsionar vendas de livros; ou denotar certa inclinação ideológica, a partir da exposição de uma seleção de autores.

No entanto, para muitos, as listas, mesmo antigas, ainda têm utilidade. Abaixo, o exemplo da bibliografia indicada para História Mundial, segundo a última lista bibliográfica oficial (2010):

Exemplo da lista bibliográfica de História Mundial, do Guia de Estudos de 2010

Os Guias de Estudo para download

Embora as listas bibliográficas não sejam mais feitas, elas ainda podem ser encontradas nos Guias de Estudo disponíveis no site do IRBr. Deixamos abaixo, para download, cada um dos guias já publicados:

Os Guias de Estudo sem as listas

Após a extinção da lista bibliográfica oficial, o IRBr prosseguiu com a publicação dos Guias de Estudo por mais três anos (até 2013). Nesses casos, porém, contendo somente as melhores respostas para cada questão do concurso anterior.

Os Guias dos Aprovados

A partir de 2014, o IRBr interrompeu a publicação dos Guias de Estudo. No entanto, surgiu uma nova publicação, ainda mais interessante.

Como uma “tradição universitária”, os diplomatas recém-aprovados criaram a prática de publicar extraoficialmente o Guia dos Alunos do IRBr, ou Guia dos Aprovados.

O guia consiste na seleção das melhores e piores respostas do concurso em que os diplomatas autores foram aprovados. Tão útil quanto ver o que foi feito de melhor pelos candidatos, é observar o que foi feito de ruim e, ainda assim, não impediu o sucesso no concurso.

Além disso, os guias são mais estimulantes à leitura. Eles contêm ilustrações e dados estatísticos variados, alguns inusitados, como os times de futebol de preferência dos novos diplomatas.

Consolidou-se também a tradição intitular cada edição do guia com uma referência a um animal, seguido de um adjetivo. A inspiração é sempre do contexto das provas ou do ano de edição do concurso. Mas para entender cada um dos títulos exóticos, só recorrendo à apresentação de cada guia.

A diplomacia na Máquina de Aprovação

A partir do tempo disponível e dos resultados nos simulados, o estudante terá um plano estudos personalizado, elaborado a partir da inteligência artificial desenvolvida pelo engenheiro Victor Maia.

Encontre a sua bibliografia preferida e aceite o desafio de ser aprovado para o serviço exterior brasileiro.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of